cropped-iron_maiden_logo-2

A banda inglesa lança seu décimo sexto álbum, o álbum muito esperado por fãs, eu principalmente que sou um fã da Donzela de Ferro desde os anos 80.

O Livro das Almas realmente me agradou e muito, mostrando que o amadurecimento não veio só para nós mortais. O que curti foi que a banda acompanhou minha idade, o bom e velho heavy metal clássico sem muito peso, mais rifes e boa letras.

O CD completo é uma grande obra, cada música tem seu ponto positivo, as letras realmente seguem o título do álbum e falam desde a galáxia aos povos maias, de lugar nenhum a algum lugar.

Dou destaque a duas músicas que achei as letras muito legais: “Speed of Light”, que tem uma parte que diz: “Não sou nada em especial, você verá – Apenas uma galáxia muito solitária”; e a outra é o próprio “The Book of Souls”, que diz: “O domínio da terra à jornada pela verdade, o submundo escava os escravos maia”.

Uma balada que ficou muito legal foi a “The Man of Sorrows”, tanto Harris quanto Dave Muray estavam inspirados, pois há uma parte que a guitarra parece que chora!

Iron_Maiden_-_The_Book_of_Souls

 

Author SladerAngel
Published
Categories llevel track
Views 578

Comments (1)

  • Darley
    1 de novembro de 2015 at 19:29 Reply
    Cara, não sei nem o que dizer, pois falar de Iron Maiden é bastante responsa! Ainda não comprei o CD para minhas íntimas audições, mas fico lembrando como foi quando liberaram o videoclipe da música Speed of Light... o Iron Maiden já chegou com tudo, um videoclipe com referências autobiográficas em "gamification" hahaha. Mas esse disco é de uma sensação ambígua interessante, pois você tem uma sensação de frescor, típico de novidade, mas ao mesmo tempo tem uma sensação de familiaridade, como se tem de algo conhecido há tempos remotos. Muito foda!

Leave a Reply

Pular para a barra de ferramentas